Sobre pessoas novas, cafés e cigarros.

21:28 / Postado por Ricardo(Sano) /

Ele que pensava não gostar das pessoas, que achava que não havia ninguém em quem acreditar, que ninguém estivesse livre das segundas, terceiras, quartas, múltiplas intenções, se enganara.
Sem perceber que ele é quem estava errado, que não o problema era com ele se fechando demais e não com todas as outras pessoas.
Mal sabia que estava prestes a descobrir a alegria de rir das coisas mais simples com amigos sem se importar com o que ou como falava.
Que um abraço, era só um abraço.
Que ver um filme de mãos dadas, era um carinho entre amigos.
Que pessoas sabem conversar olhando nos olhos.
Que elas gostam e se importam umas com as outras de verdade.

Conhecera pessoas que abraçavam de verdade. Um abraço que logo de manhã, fazia o dia melhor. Não se sentia tão bem com outras pessoas já fazia um bom tempo. Que uma mensagem de bom dia, de boa tarde, uma mensagem no celular falando asneiras. Uma mensagem? Não. Várias mensagens. Várias risadas. Mal se aguentava acordado, mas ria loucamente, descontroladamente. Nem mesmo o sono que normalmente o deixa de mau humor tinha o mesmo efeito mais. Ele estava, ou melhor, ele está muito feliz.
Apesar de outras pessoas tentarem o puxar pra baixo por ver como ele está pra cima novamente, nada disso muda. Algumas coisas o entristecem, mas não o suficiente pra abalar o seu humor.
Os filmes, as brincadeiras, as risadas, os carinhos, as conversas sérias, os exercícios, os cafés e a companhia para o seu cigarro. Está cercado deles o dia todo. Todos os dias. Impossível não ficar bem com pessoas assim.
Ele tem em si, novamente, todos os sonhos do mundo e eles são os mais belos de todos.
Se pudesse, traria todas as pessoas com as quais se importa pra junto dele, mas algumas ele não pode fazer nada e outras simplesmente não querem. Isso não significa que vá se importar menos, pelo contrário, agora que está tão bem, se preocupa mais. Ele está transbordando carinhos, atenção e preocupação, mas algumas pessoas simplesmente não vêem isso.

Não importa. Ele vai continuar ali, quer elas gostem, precisem, queiram ou não. Mas também vai continuar muito próximo a esses que o deixam tão bem. Ele gosta muito de cada um deles. Não conseguiria passar um dia todo sem pelo menos um "oi" de algum deles.
Essas pessoas, são vocês, que estão fazendo os dias dele melhores. São vocês que estão todos os dias ao lado dele. Que mandam mensagens, que falam besteiras, que fazem as brincadeiras mais sem sentido aos olhos alheios, mas pra vocês são as mais engraçadas.
E ele só tem a agradecer.
"Obrigado. Vocês são especiais."

"Loucos, normais, homens, mulheres, novos, velhos, brancos, amarelos, negros, tímidos, extrovertidos, artistas, circenses, bailarinos, não importa.
Vocês são meus amigos."

2 comentários:

Comment by Non je ne regrette rien: Ediney Santana on 11 de março de 2010 10:44

creio seja impossivel negarmos pessoas, dia menos dia, acabamos por nos ter com alguma

Comment by Leonardo on 13 de março de 2010 17:21

Simples, presente, profundo, sensível. E mais algumas coisinhas que fogem do nosso vocabulário. Eu gosto de ler o que você escreve. Léo.

Postar um comentário